Enter your keyword

imagem_header_melhore_sua_doenca
ESCOLIOSE

ESCOLIOSE

A escoliose é um desvio da coluna vertebral para a esquerda ou direita , podendo ou não ser acompanhada de rotação das vértebras, a chamada “giba”.

Existem vários tipos de escoliose, sendo mais frequente estes três:

– Escoliose congênita (de nascença): Decorre ou de um problema com a formação dos ossos da coluna vertebral (vértebras) ou de um problema de fusão dos ossos da coluna, podendo ou não estar associado a fusão de costelas durante o desenvolvimento do feto ou do recém nascido.

– Escoliose neuromuscular: É causada por problemas neurológicos como paralisia cerebral ou musculares que determinam fraqueza muscular, controle precário dos músculos ou paralisia decorrente de doenças como distrofia muscular, espinha bífida e pólio.

– Escoliose idiopática: Não possui causa conhecida.

Procure um médico se você notar sinais ou sintomas de escoliose em seu filho/filha, principalmente se estiver acompanhado de queixa de dor. Curvas suaves, no entanto, podem se desenvolver sem que ninguém note pois a deformidade pode progredir lentamente por justamente não causar dor.

A ESCOLIOSE NA GESTAÇÃO

As mulheres que têm escoliose têm a preocupação de saber se a gravidez vai piorar a curvatura ou podem apresentar mais dor nas costas. A gravidez e o parto são praticamente iguais entre as mulheres com escoliose leve ou moderada e as que não apresentam essa condição. Além disso, o peso extra não aumenta a curvatura da coluna desde que ela não esteja mais progredindo. Na maioria das pacientes, a curva se estabiliza aos 25 anos.

As mulheres com escoliose grave devem consultar seu médico antes de engravidar para acompanhamento da coluna e do feto. Durante os últimos estágios da gravidez, elas podem ter alguns problemas respiratórios. Isto porque, com o avanço da gestação, o útero, aumentado, empurra o diafragma da gestante para cima, piorando a falta de ar. A dor nas costas nesse período também pode ser significativa.

Normalmente, a anestesia peridural é contraindicada se uma mulher tem alterações graves na coluna vertebral, como a escoliose. Estudos mostram que 30% das gestantes, mesmo apresentando alterações posturais, conseguem realizar um parto normal, com dilatação suficiente para a expulsão do bebê, sem que a escoliose interfira no parto. Já a maioria das gestantes, especialmente as com desvios grandes da coluna, é obrigada a optar pela cesárea e anestesia geral.

As mulheres que realizaram uma cirurgia para correção da escoliose esperem ao menos seis meses após o procedimento para engravidarem. Esse é o tempo de recuperação recomendado para a coluna.

É sempre importante consultar o especialista em coluna e fazer todo o acompanhamento da gestação, para que não haja complicações ou surpresas durante esse período.

MELHOR POSIÇÃO PARA DORMIR E EVITA DORES NA COLUNA

Quando alguém dorme de lado, o ato de dobrar os joelhos e colocar um travesseiro entre os joelhos previne que eles se encostem e mantém a coluna em uma posição neutra. Quando não há suporte entre as pernas, a perna de cima roda para baixo, puxando a pelve, e distorcendo a linha natural da coluna.

Adicionar uma sustentação entre os joelhos pode prevenir dor lombar induzida por estes tipos de força e proporciona alívio para as costas e descanso enquanto dorme.

Em geral, um travesseiro firme entre os joelhos funciona melhor do que um macio porque ele serve como um anteparo para que a perna acima não rode sobre a perna abaixo.

COLUNA SAUDÁVEL

Atividade física é uma das principais maneiras de prevenir dor nas costas tanto exercícios específicos como uma simples caminhada podem ajudar.
A vida sedentária provoca literalmente o desuso dos sistemas funcionais. Tanto o aparelho locomotor, como os demais órgãos e sistemas solicitados durante as diferentes formas de atividade física entram em um processo de regressão funcional, caracterizando, no caso dos músculos esqueléticos, um fenômeno associado à atrofia das fibras musculares, à perda da flexibilidade articular, além do comprometimento funcional de vários órgãos.

Atividades feitas na piscina são as mais recomendadas para quem não pode sofrer altos impactos nas articulações.