Enter your keyword

imagem_header_melhore_sua_doenca
TUMOR CEREBRAL: Sintomas, Tratamentos e Causas.

TUMOR CEREBRAL: Sintomas, Tratamentos e Causas.

O tumor cerebral é caracterizado pelo crescimento anormal de células, que leva à compressão e lesão de células normais do cérebro. Podem ser “benignos” ou malignos, sendo que apenas os tumores malignos são denominados de câncer.

O tumor cerebral tem cura, principalmente quando é benigno e tem limites bem definidos, podendo ser combatido com quimioterapia, radioterapia ou retirado através de cirurgia.

TIPOS DE TUMOR CEREBRAL:

Os chamados tumores primários são aqueles que nasceram de estruturas dentro da calota craniana. Eles podem ser benignos, ou malignos. Os tumores secundários são tumores que vieram de outro local do corpo e deram metástases para o cérebro.
Dependendo da célula que dá origem ao tumor podem ser classificados em:

– Gliomas: Os tumores primários mais comuns cerca de 60%. Benignos, de células de suporte do sistema nervoso “células gliais”, incluem astrocitomas, glioblastomas, ependimoma, oligoastrocitomas, oligodendrogliomas e schwannomas.

– Meningiomas: Segundo mais comuns, nasce de células do revestimento do cérebro, das meninges, a maioria são benignos.

– Adenoma de hipófise: São tumores geralmente benignos que se desenvolvem na adeno-hipófise, glândula da base do cérebro. Estes tumores podem afetar a produção de hormonas e ter efeitos em todo o corpo.

– Meduloblastomas: São cânceres do cerebelo mais comuns em crianças. Formadas de células imaturas, crescem rápido e tendem a se espalhar através do líquido espinhal. Estes tumores são pouco comuns em adultos. Representam pouco menos de 2% dos tumores de cérebro em adultos, mas 18% dos tumores de cérebro em crianças.

– Tumor neuroectodérmico primitivo (PNET ou TNEP): Câncer raro de crescimento rápido que começa em células embrionárias (fetais) do cérebro. É mais comum em bebês. Estes tumores geralmente contêm áreas de células necrose e cistos. Fluido no torno do tumor não é incomum. Crescem muito causando efeito de massa e convulsões.

– Tumor de células germinativas: Geralmente se desenvolvem durante antes dos 30 anos. Esse tipo de tumor é mais comum nos testículos ou ovários, porém quaisquer tumores de células germinativas podem aparecer no cérebro. Representam de 3 a 5% dos tumores de cérebro em crianças.

– Craniofaringioma: Tumores benignos raros e de crescimento lento. Surgem perto da hipófise e podem afetar a regulação hormonal do corpo e comprimir os nervos da visão. Representam 2 a 5% dos tumores de cérebro e são mais comuns em menores de 14 anos ou maiores de 45 anos.

Quando o tumor cerebral é uma metástase de outro câncer, dizemos que é uma lesão secundária. Às vezes as metástases cerebrais são descobertas em pacientes já sabidamente com câncer, outras vezes, pode ser primeiro descoberta a metástase cerebral, para depois se achar o tumor primário. Os tumores que mais causam metástase cerebral são os de mama, cólon, pulmão, pele “melanoma” e câncer renal.

SINTOMAS DE TUMOR CEREBRAL:

Os sintomas de tumor cerebral são diferentes de acordo com o lobo cerebral afetado, e, por isso, em alguns casos podem ser confundidos com problemas de visão, como miopia ou astigmatismo, por exemplo.
Assim, é recomendado que caso os sintomas se mantenham por mais de 1 mês, se consulte um neurologista para fazer uma ressonância magnética.

– Dor de cabeça que se torna mais severa e frequente
– Náuseas e vômitos persistentes
– Alterações visuais e auditivas
– Convulsão
– Agitação motora
– Fraqueza ou rigidez muscular
– Perda de sensibilidade em qualquer parte do corpo
– Falta de coordenação
– Dificuldade para falar ou entender o que é dito
– Esquecimento das palavras
– Problemas com leitura e escrita de modo inexplicável
– Movimentos involuntários
– Déficit motor de membros

CAUSAS:

Ainda hoje não se conhece os fatores causais dos tumores cerebrais, sendo que a maioria deles aparece sem que possamos saber o porque. Quando a pessoa tem um tumor no pulmão, por exemplo, algumas células dessa lesão podem cair na corrente sanguínea e se instalar em qualquer parte do organismo, inclusive no cérebro. Algumas alterações genéticas podem ser herdadas, mas a maioria dos tumores cerebrais e da medula espinhal não são resultado de síndromes hereditárias conhecidas.

TRATAMENTOS:

O tratamento dos tumores cerebrais é muito variado, pois existem vários tipos de tumor. Os tratamentos podem incluir neurocirurgia, radioterapia e eventualmente quimioterapia. Na maioria das vezes os tratamentos são uma combinação de cirurgia e radioterapia podendo ser usadas drogas como corticosteroides ou manitol para reduzir o inchaço do tecido cerebral e anticonvulsivantes para prevenir ou controlar os ataques epiléticos relacionados aos tumores.

Tratamento cirúrgico:

O tratamento cirúrgico de um tumor cerebral depende, essencialmente, de sua localização e tipo; muitos tumores cerebrais podem ser removidos sem causar lesão no tecido cerebral normal, contudo, alguns se desenvolvem em uma área que torna a remoção difícil, pois estruturas essenciais podem ser comprometidas.

A ressecção de um tumor é necessária se o seu crescimento afetar estruturas cerebrais importantes, mesmo em casos em que a cirurgia não seja curativa, o procedimento poderá ser útil para reduzir o tamanho do tumor, aliviar os sintomas e permitir ao médico determinar de que tipo de tumor se trata e se outro tipo de tratamento poderia ser adequado. Nem todos os tumores cerebrais são câncer, mas como o crânio é uma “caixa fechada”, mesmo os tumores benignos do SNC podem ser muito graves, pois comprimem estruturas vitais do cérebro.