Enter your keyword

imagem_header_melhore_sua_doenca
CIRURGIA HÉRNIA DE DISCO

CIRURGIA HÉRNIA DE DISCO

A hérnia de disco ocorre quando parte de um disco intervertebral sai de sua posição normal e comprime as raízes nervosas da coluna vertebral. A hérnia de disco é mais comum nas regiões lombar e cervical, por serem áreas que suportam mais carga e mais expostas ao movimento.

Hérnia de disco

O início de uma lesão discal pode acontecer quando a pessoa não tem uma boa postura, faz levantamento de pesos sem dobrar os joelhos e não ingere cerca de 2 litros de água por dia. Nesse caso, apesar de não ter formado uma hérnia, o disco já está danificado, tem menor espessura, mas ainda mantém seu formato original: oval. Se a pessoa não melhorar sua postura e seus hábitos de vida, em poucos anos, provavelmente ela irá desenvolver uma hérnia de disco. A hérnia de disco pode ser classificada de acordo com a região da coluna que ela afeta e, por isso, ela pode ser:

– Hérnia de disco cervical: afeta a região do pescoço;
– Hérnia de disco torácica: afeta a região do meio das costas;
– Hérnia de disco lombar: afeta a região mais baixa das costas.

A cirurgia para tratamento da hérnia de disco, lombar e cervical, é indicada nos casos em que não houve melhora dos sintomas de dor e desconforto, mesmo com o tratamento à base de remédios e fisioterapia, ou quando há sinais de perda da força ou sensibilidade. Em geral, a cirurgia é indicada quando o paciente apresenta alguma disfunção neurológica grave como perda de força progressiva ou quando não melhora com o tratamento clínico.

O procedimento oferece alguns riscos, como limitação da movimentação da coluna ou infecção, entre outros. A hérnia de disco pode englobar casos simples e outros muitos complexos. A presença de déficit neurológico após a cirurgia é uma complicação possível porém muito rara Quando acontece algum déficit após a cirurgia, geralmente é reversível. Na mão de profissionais não capacitados, podem acontecer déficits neurológicos irreversíveis, por isso é sempre importante checar a formação e qualificação do seu cirurgião.

O tipo de cirurgia pode variar, podendo ser com a abertura tradicional da pele para chegar até a coluna, ou com o uso de técnicas mais recentes e menos invasivas, com o auxílio de um microscópio, por exemplo. A recuperação pode variar de algumas semanas a 1 mês, a depender da técnica utilizada, sendo que a realização de fisioterapia de reabilitação ajuda na melhoria dos sintomas e retomada dos movimentos da coluna.

CIRURGIA TRADICIONAL:

É feita com a abertura da pele, com um corte, para chegar até a coluna. A escolha do local de acesso à coluna é feita de acordo com o local mais próximo para chegar ao disco, que pode ser pela frente, como é comum na hérnia cervical, pela lateral ou pelas costas, como é comum na hérnia lombar.

Esta cirurgia, geralmente, é feita com anestesia geral, podendo ser retirado, parte ou por completo, o disco intervertebral que está prejudicado. Em seguida, pode ser usado um material para unir as 2 vértebras ou pode ser utilizado um material artificial para substituir o disco removido. O tempo de cirurgia varia de acordo com o local e a situação da hérnia de cada pessoa, mas dura cerca de 2 horas.

CIRURGIA MINIMAMENTE INVASIVA:

A cirurgia minimamente invasiva utiliza novas técnicas que permitem uma abertura menor da pele, o que proporciona menor movimentação das estruturas ao redor da coluna, um tempo de cirurgia mais rápido e menor risco de complicações, como sangramento e infecção.

As principas técnicas utilizadas são:

1 . Microcirurgia:
A manipulação do disco intervertebral é feita com a ajuda de um microscópio cirúrgico, exigindo uma menor abertura da pele. Além disto, podem ser cauterizados pequenos nervos ao redor da hérnia para diminuir a dor.

2 . Cirurgia endoscópica:
A endoscopia consiste na ressecção do disco cervical através de endoscópio, é uma técnica feita através da inserção de pequenos tubos na pele, um deles com câmera, também permitindo um procedimento sem a necessidade de abrir muito a pele e manipular muitas estruturas da coluna.

A cirurgia minimamente invasiva pode ser feita com anestesia local e sedação, com duração de cerca de 1 hora ou menos. Durante a cirurgia, pode ser utilizado um aparelho de radiofrequência ou a laser para remover a parte herniada do disco e, por isto, este tipo de cirurgia também é conhecida como cirurgia a laser.

O pós operatório varia de acordo com a cirurgia, sendo que o tempo de internação é de 2 dias na cirurgia minimamente invasiva e pode chegar a 5 dias na cirurgia convencional.

RISCOS DA CIRURGIA:

A cirurgia de hérnia de disco pode apresentar algumas complicações, mas o risco é bem pequeno, principalmente devido às técnicas e aparelhos cada vez mais modernos que vêm sendo utilizados. As principais complicações que podem surgir são, persistência da dor na coluna, infecção, sangramento, lesão de nervos ao redor da coluna, dificuldade para movimentar a coluna.

CUIDADOS APÓS A CIRURGIA NA COLUNA:

O cuidado mais importante após uma cirurgia da coluna lombar é evitar torcer ou dobrar as costas, no entanto, outros cuidados incluem:

– Fazer pequenas caminhadas só depois de 4 dias da cirurgia, evitando rampas, escadas ou piso irregular, aumentando o tempo de caminhada para 30 minutos 2 vezes por dia;

– Colocar uma almofada atrás das costas quando sentar, para apoiar a coluna, mesmo no carro;

– Evitar ficar mais de 1 hora seguida na mesma posição (sentado, deitado ou em pé);

– Evitar contato íntimo durante os primeiros 30 dias;

– Não dirigir durante 1 mês.

A cirurgia não impede o surgimento do mesmo problema em outro local da coluna e, por isso, os cuidados com agachar ou pegar objetos pesados devem ser mantidos mesmo depois da recuperação total da cirurgia.